quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Consciência Negra






A equipe do Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville (MASJ) participou da homenagem aos descendentes afro sepultados no Cemitério dos Imigrantes de Joinville, nesta quinta-feira. Os educadores Gerson Machado e Flavia Cristina Antunes de Souza e os monitores Mateus Carle e Ana Claudia Bruhmüller representaram a equipe do museu na programação da 6ª. Semana Consciência Negra. O blog do MASJ deixa como sugestão para os leitores o Encontro de Grupos Afro, programados para sábado (22), às 11h, na praça do Mercado Público, e para domingo (23), no Parque da Cidade, das 10h às 14h.




Reencontro







O blog do MASJ registra a visita carinhosa de Marlene Eccel Zabel. Dona Marlene, como é conhecida pela equipe, trabalhou no museu entre 2007 a 2009. Para retribuir o carinho nada melhor do que um selfie em um dos jardins mais fotografados da cidade!

sexta-feira, 14 de novembro de 2014


Nova comunicação para o Morro do Ouro...


O Morro do Ouro, um dos sambaquis monumentais da nossa região, vai ganhar nova comunicação visual em breve. A equipe do MASJ está desenvolvendo em parceria com o IPPUJ novos painéis para o espaço. Peças do acervo estão sendo selecionadas para a produção de imagens. Confira este belo adorno ósseo, encontrado na pesquisa de salvamento de parte do sambaqui, durante a construção da Ponte do Trabalhador, em 1979.  A peça integra a coleção pesquisada pela arqueóloga Marilandi Goulart, que coordenou o projeto Tecnologia e Padrões de Subsistência de Grupos Pescadores-Coletores Pré-históricos, Habitantes do Sambaqui Morro do Ouro. Este projeto foi de salvamento, pois um dos objetivos era a liberação da área de acesso à Ponte do Trabalhador. O Morro do Ouro fica no bairro Guanabara e tem mais de 4 mil anos de história.




sexta-feira, 7 de novembro de 2014


Divulgando os Sambaquis da Cidade


Nesta semana, a equipe do Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville participou da reportagem do Jornal do Almoço sobre o bairro Guanabara, que concentra três sambaquis. O Morro do Ouro, o Guanabara I e II são os sambaquis mostrados na reportagem, que teve a participação da arqueóloga do MASJ, Beatriz da Costa Ramos.

Segue o link abaixo, para você conferir.



Mapa Novo no MASJ

Um mapa com dimensões de 2m por 2m30 também é outra novidade na exposição do MASJ. Venha conferir os sambaquis concentrados na região urbana e veja se eles estão próximos da sua casa. Na mesma exposição, você também pode conferir um vídeo que mostra uma projeção do crescimento urbano no entorno dos sambaquis Espinheiros II e Rio Comprido.




sexta-feira, 11 de julho de 2014

Horário de Funcionamento

Conforme determinação da FUNDAÇÃO CULTURAL DE JOINVILLE, informamos que devido ao jogo do Brasil que acontecerá na data de 12/07/2014 (sábado), 
o horário de funcionamento dos museus será das 10h às 16h, extraordinariamente.

Agradecemos a compreensão.
Atenciosamente, 


terça-feira, 20 de maio de 2014

Guilherme Tiburtius – muito a descobrir

Desde 2012, o MASJ vem trabalhando no projeto de salvaguarda do Acervo Histórico da Coleção Guilherme Tiburtius. O acervo documental, com boa parte dos originais doados pela família Tiburtius, reúne fotografias, fichas, cadernos de registros de peças, textos manuscritos e até aquarelas. Documentos inéditos e preciosos que em breve poderão estar disponíveis para a pesquisa e ações de comunicação museológica. O objetivo é reunir, reproduzir e traduzir do alemão para o português o trabalho deixado por Tiburtius. Todo o processo de curadoria já foi realizado e até o momento 111 páginas já foram traduzidas para o português.



sexta-feira, 16 de maio de 2014

Programa para fim de semana

Uma das novidades do MASJ neste mês de maio é a Sala de Provocações. A exposição sensorial está aberta ao público e propõe uma reflexão sobre o tema Comunicação. A proposta é que o visitante fique com olhos vendados para explorar, através do tato, os objetos dispostos nas paredes e na bancada. Além de estimular a memória, através da percepção tátil, a provocação também é se colocar no lugar de alguém com deficiência visual.

Tramas e experimentações 
                     
Nesta semana, o MASJ recebeu mais uma turma de alunos da Casa da Cultura para um aprendizado dentro do museu. A oficina de cestaria, realizada na última quinta no espaço de experimentação,  mostrou algumas possibilidades de criação e confecção de cestarias, a partir de fibras vegetais, pigmentos naturais e de papéis.




quarta-feira, 14 de maio de 2014

Conexão MASJ


video

Revisitando o MASJ

Nos últimos dias, o Museu de Sambaqui  tem recebido amigos de longa data.  Parceiros com boas histórias e muita sabedoria  sempre nos trazem alegrias e ideias para pensarmos o nosso trabalho. A arqueóloga do Museu Paranaense, Claudia Parellada,  esteve no MASJ para visitar a exposição permanente e também acompanhou a preparação do sambaqui para a arqueologia experimental .  O museólogo da Universidade Federal de Pelotas, Diego Lemos Ribeiro, e o historiador e arqueólogo, Afonso Imhof,  também enriqueceram a nossa semana com uma boa conversa no jardim do museu. As educadoras do Museu Nacional de Imigração e Colonização, Giane Maria de Souza e Elaine Machado, estiveram no MASJ para visitar a Sala de Provocações. Até companheiros de outros tempos, como o monitor voluntário Pedro Ferreira,  apareceram no MASJ para nos deixar um abraço carinhoso. Na imagem, Pedro com a monitora, Giana Maciel Wiest, e com a educadora, Flavia Cristina Souza. Boas lembranças, memórias para sempre!



Uma Noite no Museu

Mais do que diálogos, novas conexões. O colóquio do MASJ realizado na noite de segunda (12) foi uma boa troca de saberes, com uma conversa dinâmica e descontraída entre o museólogo da Universidade Federal de Pelotas, Diego Lemos Ribeiro, e os alunos do curso de História da UNIVILLE.  Veja nas fotos alguns momentos dessa noite.


segunda-feira, 12 de maio de 2014

Conexões e experimentações no MASJ

Coleções criam conexões. O Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville (MASJ) organizou uma programação especial para a 12ª. Semana dos Museus. Um  colóquio, uma exposição sensorial, uma janela caleidoscópica e uma atividade de arqueologia experimental.    A proposta é explorar o acervo e os trabalhos do MASJ na difusão de conhecimento para públicos distintos.
O colóquio, por exemplo, que costuma ser um evento direcionado ao público acadêmico, vai atender uma turma de alunos de graduação do curso de História da Univille. O convidado é o professor e pesquisador Diego Lemos, da Universidade Federal de Pelotas, que junto com a equipe do MASJ, vai interagir com os acadêmicos no espaço da exposição nesta segunda (12), a partir das 19 horas.
Para o público em geral, o MASJ convida a comunidade para visitar a Sala de Provocações, uma proposta sensorial sobre o tema comunicação através do tempo.  O visitante, privado do sentido da visão, será convidado a utilizar seus outros sentidos para explorar os elementos dispostos nas paredes e bancadas no ambiente.  

Temática indígena para reflexão

Outra proposta para a Semana dos Museus é a Janela Caleidoscópica, que está integrada ao espaço da exposição permanente do MASJ. A intenção é estimular uma abertura sobre o acervo da instituição, que reúne 40 mil peças, muitas delas, nunca expostas ao público. A janela é um expositor com peças, imagens e textos, que será renovado periodicamente. Inicialmente, a temática indígena compõe a janela, com a exposição de uma escultura de madeira e cestarias, peças que integram a Coleção Guilherme Tiburtius.  
Embora, a sociedade pré-histórica dos construtores de sambaquis seja anterior à cultura indígena, o estudo sobre os usos e costumes dos índios são referências importantes para a arqueologia interpretar o passado. Muitos trabalhos artesanais, como a confecção de cestarias, por exemplo, são tradições milenares que vem sendo transmitidas desde os povos pré-históricos.
               
Arqueologia experimental

Para o público escolar que participa dos projetos educativos do MASJ, a atividade programada para a Semana dos Museus é a vivência de uma escavação arqueológica. A intenção é ensaiar uma experimentação no jardim do museu, onde foi construído um pequeno sambaqui experimental.       
Diversos artefatos foram enterrados para serem escavados e interpretados pelos estudantes. Além de estimular a compreensão da preservação de um patrimônio e das etapas de um trabalho arqueológico, a experiência quer reforçar o entendimento da diversidade de ocupação do território de Joinville e da cultura material como fonte de conhecimento.
A programação do MASJ nesta 12º. Semana de Museus traz como objetivo principal estimular o público visitante para outras vivências e novas conexões com o acervo da instituição. Muitas atividades, como a visitação na Sala de Provocações, a Janela Caleidoscópica e Arqueologia Experimental serão realizadas durante todo o mês de maio.  Os interessados na arqueologia experimental devem agendar estas atividades com o setor Educativo, através do 3433-0114. 


quarta-feira, 7 de maio de 2014

Inspiração artística


A sensibilidade e o apuro estético dos sambaquianos motivaram os alunos do curso de Pintura da Escola de Artes Fritz Alt da Casa da Cultura. Nesta quarta de manhã, os zoólitos foram a inspiração para a turma exercitar o desenho das formas e da tridimensionalidade.  A aula do professor Luciano Costa Pereira foi realizada dentro do MASJ, com apoio dos setores Educativo e de Museologia, e os alunos puderam manusear as esculturas em pedras no formato de animais.




segunda-feira, 5 de maio de 2014

Olhares contemporâneos para arte pré-histórica

Nesta quarta-feira (7 de maio) de manhã, os alunos do curso de Pintura da Escola de Artes Fritz Alt, da Casa da Cultura, vão explorar a arte milenar e pré-histórica dos zoólitos que compõem o acervo do Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville.  Produzidas pelos construtores de sambaquis, os zoólitos são esculturas feitas em pedras no formato de animais e que surpreendem pela riqueza de detalhes e acabamento.  “Uma arte que merece ser observada", destaca o professor Luciano da Costa Pereira, que propôs aos alunos uma atividade de observação das formas, da tridimensionalidade e esboço de croquis. Sob a supervisão da equipe do MASJ, os alunos vão usar luvas e máscaras para manusear algumas peças. A aula de artes será realizada dentro da exposição do MASJ, pois o objetivo é promover diálogos e reflexões entre o passado e o presente.   




Arqueologia Experimental


Para o público escolar que participa dos projetos educativos do museu, a vivência de uma escavação arqueológica será realizada no sambaqui experimental, construído no pátio interno do Museu Arqueológico de  Sambaqui de Joinville. A equipe do MASJ preparou a área e diversos artefatos foram enterrados para serem escavados e interpretados pelas crianças. A atividade integra a programação do Museu de Sambaqui para a 12ª Semana dos Museus, que ocorre entre os dias 12 a 18 de maio, e deve ser agendada no setor Educativo. Informações: 3433-0114.






quinta-feira, 1 de maio de 2014

O horário de funcionamento da Exposição para este feriado, ponto facultativo e final de semana, informamos:


Quinta-feira a Domingo (01 a 04 de maio): Aberto das 12h as 18h.

Segundas-feiras: Fechado para limpeza e manutenção da exposição.

sexta-feira, 25 de abril de 2014



Arqueologia Experimental

Uma das programações do MASJ para a 12 Semana de Museus, que ocorre entre os dias 12 a 18 de maio, será a atividade de Arqueologia Experimental. O espaço do sambaqui experimental, construído dentro do pátio do museu, está sendo preparado para simular uma vivência de escavação arqueológica.  Diversos artefatos vão ser enterrados para serem escavados e interpretados pelos estudantes. Além de estimular a compreensão da preservação de um patrimônio e das etapas de um trabalho arqueológico, a experiência quer reforçar o entendimento da diversidade de ocupação do território de Joinville e da cultura material como fonte de conhecimento. Na imagem, a educadora Ingrid Muniz prepara o espaço com uma paisagem de ambientação. Depois de realizarem a atividade, os escolares também poderão produzir seus registros, sejam imagens ou textos.

 


Escolas
Mais de cem estudantes do ensino fundamental participaram do projeto Educativo do MASJ nesta semana.  A Escola Municipal Rosalvo Fernandes, de Araquari, a Escola do SESI de Brusque e o CAIC Francisco José de Oliveira, de Joinville, vieram até o museu para ampliar o conhecimento sobre os sambaquis e a importância da preservação dos nossos patrimônios.  Para fazer um bom atendimento às escolas, o setor Educativo trabalha com agendamento, que pode ser realizado através do telefone (47) 3433-0114.



Horário de atendimento para o Final de Semana
Sábado e Domingo - 12h as 18h
Segundas-feiras - Fechado para limpeza e manutenção
Entrada Franca
 

quinta-feira, 17 de abril de 2014



Projetos Educativos

“Uma troca de saberes muito produtiva”, resume a monitora do MASJ, Tere Barbosa, sobre o atendimento realizado na noite desta última terça –feira (15), com o grupo de alunos do curso de História da Arte da Casa da Cultura.  Durante quase 3 horas, o grupo aproveitou para explorar as informações da exposição, além das dinâmicas realizadas pelo projeto educativo, como as localizações dos sambaquis na cidade e o manuseio de amostragens de materiais líticos, de fauna e de  ossos humanos, que costumam ser coletados no trabalho arqueológico. O atendimento de grupos, em horários diferenciados, pode ser feito pelo MASJ, contanto que seja feito um agendamento com antecedência. Informações 3433-0114.

 
Ainda nesta semana, o MASJ também recebeu 17 alunos da Escola Municipal Dom Jaime de Barros Alcântara. Localizada perto do sambaqui Rio Comprido, no bairro Comasa Boa Vista, a escola tem no seu histórico uma participação ativa na preservação do patrimônio arqueológico.  Por muito tempo, a área do entorno do sambaqui foi utilizada para atividades educativas e sociais do bairro. Bons tempos, que devem ser resgatados!




Relembramos o horário de funcionamento para este final de semana de feriado:
Sexta-feira: Fechado
Sábado e Domingo: Aberto das 12h as 18h
Segundas-feiras: Fechado para limpeza e manutenção da exposição.

quarta-feira, 9 de abril de 2014